05. Pessoas controladoras

Responder ao tópico

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

05. Pessoas controladoras

Mensagem por Coordenação em Qua Nov 16, 2016 5:28 pm

Aqueles que tentam controlar outras pessoas, simplesmente, não são legais e, na maioria das vezes, nada respeitosos. Personalidades controladoras pertencem a pessoas que provavelmente tem problemas mais profundos, dentre outros, podemos destacar a codependência [1], o narcisismo [2], tendências sociopatas ou apenas pura teimosia e/ou obstinação e etc. As pessoas controladoras são egoístas, imaturas e propensas a colocar diversos tipos de freios em seu caminho para uma vida plena, principalmente, se você estiver em constante proximidade delas.

[1 - Codependência, Dependência Emocional ou Dependência Afetiva, é a inabilidade de manter e nutrir relacionamentos saudáveis com os outros e consigo mesmo, resultando em Relacionamentos Difíceis, Desgastados ou Destrutivos. Aqui você saberá quais são os principais sintomas, se você vive este problema e como tratar este transtorno que pode ser grave e gerar sérios prejuízos à saúde e a todas as áreas da vida. (Excelente artigo pode ser encontrado neste link: http://www.elizabethzamerul.com.br/codependencia.php)]

[2 – Veja artigo no link: https://pt.wikipedia.org/wiki/Transtorno_de_personalidade_narcisista]

Visando ajudar as pessoas a reconhecerem alguns tipos de personalidades controladoras, e a despertar o leitor ou a leitora para o fato e, também, ver se ele ou ela tem problemas nesta área, segue abaixo algumas sugestões.


DESCOBRINDO...

Antes de continuarmos é bom que saibamos: Existem vários níveis de controles, há, igualmente, vários graus no controle. Também, existem os controles oriundos de pessoas fortes, bem como, controladores que utilizam estratégias oriundas da tirania do fraco.

Neste tipo de controle, tais pessoas utilizam à gentileza, os cuidados, a preocupação e etc. como forma de controlar e dominar o outro. É um dos controles mais difíceis de serem detectados, vistos e aceitos, pois tais pessoas passam por pobres coitadas, vítimas, incompreendidas, preocupadíssimas com você e etc.

E o que dificulta ainda mais a percepção do controle pela fraqueza é que a psicologia tem dado pouca ou nenhuma atenção a esta área em especifico.

Posto isto, sigamos...

1- Antes de tudo, pense em como você se sente em torno das pessoas em sua vida.

Você tem relacionamentos em que se sente sufocado, perdido, confuso ou angustiado, ou simplesmente farto de ser mandado o tempo todo e/ou sentindo muita culpa por continuar “obedecendo”?

Existe alguém que faz você se sentir pisando em ovos, que lhe faz agir com todo cuidado para acalmar ou não chatear? Conhece alguém que parece sair do sério mesmo com as mais simples coisas que você diz ou faz, sem nenhum motivo? Se achar que alguma dessas situações é familiar, então você pode estar lidando com uma pessoa controladora. Nesse caso, continue a ler.

• Pessoas controladoras podem ser de ambos os sexos; podem ser românticos e platônicos. Seja cauteloso com um amigo ciumento e ele ou ela odeia os seus outros relacionamentos, especialmente se o seu amigo está infeliz com os próprios romances, então é melhor redobrar a sua atenção.

• Só porque alguém tem uma personalidade forte, isso não faz dela uma pessoa controladora. O teste é: “Será que ela permite que você seja você mesmo, ou ele/ela indevidamente procura influenciar o seu comportamento no sentido que ele/ela obtenha controle sobre sua vida (pessoa).” Você deve saber isso instintivamente.

• Distinga as pessoas com fortes problemas de limites, das pessoas controladoras, testando suas reações a outros tópicos. Alguns exemplos de pessoas com problemas de limites. Elas tendem a explodirem se for tocadas sem aviso prévio, mas não reagem de uma forma controladora; ou, elas “implicam” se você usa seu cabelo diferente; ou perde/ganha peso, etc. Também são questões de limites, se sentem incomodadas com as escolhas pessoais de outras pessoas, tais como mudança de religião, revelar que é gay ou transexual, dieta, higiene ou exercício. Mesmo se você achar que está certo e a outra pessoa está errada, alguém que é sensível em qualquer um desses temas, está apenas mantendo-se seguro sobre o que fazer de sua vida e como tratá-la. Agora, eles ou elas serão controladores quando começam a dizer quem você é, o que deve vestir, ou pensar, sentir e fazer.

• Não se sinta mal se você descobrir que você é, por vezes, controlador com outras pessoas em sua vida, especialmente caso tenha crescido com um pai ou uma mãe controladora. Em um nível mais profundo, o que você vivenciou enquanto crescia parece ser o “normal” e é preciso se esforçar para parar de tratar os outros da maneira com que você foi tratado. Quebrar o padrão é uma grande parte da recuperação. Se notar isso no momento, ajuda voltar atrás e pedir desculpas para a pessoa cujos limites você cruzou. Isso pode salvar amizades e criar relacionamentos mais saudáveis em sua vida.

• Os homens tendem a buscar um controle (imposição) mais fisiológico, isto é, um controle físico ou usando a força física ou bruta sobre os outros. Já as mulheres buscam um controle mais emocional, mais sutil e gentil. Por exemplo, buscando cercear ou controlar onde estava, o que estava fazendo, com quem e etc. [Aqui também vale uma observação: Pelo Eneagrama, observarmos que os controladores com padrão emocional dominante, tendem a exercer um controle mais emocional ou a nível emocional; os com padrão intelectual dominante, tendem a exercer um controle racionalizado, racional e os controladores instintivos tendem a exercer o controle físico, pela força, pela imposição ou pelo poder de dominação.]

2- Procure por mau humor...

Mau humor é um sinal fundamental de uma pessoa controladora, precisamente porque aquele e aquelas com personalidades temperamentais tendem a ser percebidos remoendo mágoas e injustiças que aconteceram com eles/elas pessoalmente, tentando remediar a dor interna e melhorar a sua situação controlando os outros. O que é melhor do que ter alguém obediente que aceita a culpa ou sente medo quando você não quer se aprofundar em consertar sua própria fonte de dor?

• Pessoas temperamentais tendem a estar de mau humor ou lançar um manto de escuridão no meio de um momento de felicidade.

• Os narcisistas, muitas vezes, dão chilique quando a atenção inadequada está sendo dada a eles e às necessidades deles. Esta é uma forma de manipulação do controle para a qual pode ser difícil dizer não, porque a pessoa, muitas vezes, diz que está com dor / chateada / machucada e afins, tentando fazer com que o outro se sinta mal por ela.

3- Suspeite de qualquer pessoa temperamental e que demonstre isso frequentemente.

Acessos de raiva frequentes, especialmente aqueles acompanhados pelo bullying (o covarde tentando controlar os outros) ou ameaças (mais fácil ameaçar do que investigar sua própria fonte interna de problemas) são sinais de um tipo de personalidade controladora.

Explosões de temperamento muitas vezes acontecem quando você discorda deles (mesmo que de forma leve ou gentilmente) ou não faz exatamente o que eles desejam (o que pode ser difícil de captar, às vezes, pois muitos controladores esperam que você seja capaz de “ler a mente deles”).

Em suas mentes, você está desafiando a autoridade deles quando discorda de suas opiniões ou não satisfaz os desejos que têm.

• Juntamente com o mau humor, a pessoa temperamental e mal-humorada pode ser realmente complicada, porque você nunca sabe onde está com essa pessoa. Infelizmente, a nossa incapacidade de lidar e trabalhar com a raiva ou ressentimento deles pode ser descontado em você na forma de abuso físico, verbal, emocional ou sexual. Nunca continue a lidar ou se relacionar com alguém que prejudica você; não é sua culpa se essa pessoa tem problemas mais profundos. Infelizmente, é mais provável que alguém tenha se comportado assim durante a juventude dessa pessoa e ela esteja perpetuando um ciclo ruim.

4- Pense em como essa pessoa reage quando são feitas a ela perguntas normais.

As perguntas podem revelar várias coisas sobre uma pessoa controladora quando ela responde de uma forma frustrada ou condescendente:

• Como já mencionado, uma pessoa controladora pensa que você pode ler a mente dela. Se você perguntar coisas básicas sobre o que fazer juntos, para onde ir, o que ela quer etc., ela pode tornar-se facilmente frustrada porque esperava que você soubesse completamente todas as necessidades dela e as colocasse à frente das suas próprias. Perguntas significam que uma decisão ainda precisa ser feita. A pessoa controladora pensa que a decisão já foi tomada, tudo pensando nela e para conveniência dela.

• Pessoas controladoras muitas vezes assumem que entendem como você pensa, mesmo quando, na verdade, não. Elas podem tornar-se frustradas porque a imagem que construíram de você está em desacordo com o que você diz.

• Perguntas podem irritar uma pessoa controladora, porque elas preferem estar no controle do questionamento.

• Perguntas podem comprovar para a pessoa controladora que a pessoa que está perguntando está precisando de orientação e controle por não saber a resposta. Isso pode, na verdade, piorar com o tempo, porque o controlador busca ter a outra pessoa controlada, sendo levada por sua habilidade de decisão.

5- Ouça bem o que eles têm a dizer.

• Muitas vezes, os controladores querem deixá-lo nas nuvens para assumir o controle. Eles podem elogiá-lo de modo raso, apenas para passar a menosprezá-lo no minuto seguinte, principalmente quando acreditam que fez algo de errado. Se costuma sentir-se mal, envergonhado ou humilhado após uma conversa, talvez esteja lidando com uma pessoa controladora.

• Por exemplo: Clara faz com que Maria sinta-se bem consigo mesma, mas Maria gosta de mandar na amiga. Maria sempre diz que Clara é uma boa amiga, mas não a chama de "melhor amiga", por mais que Clara a chame de "BFF". Desse modo, a Maria sempre deixa a possibilidade no ar, assumindo o controle da situação.

• Os controladores podem fazer com que se sinta burro para conseguirem o que querem. Um exemplo de comportamento abusivo completamente inadequado em um relacionamento: João diz para Luiza que ela está acima do peso e tem sorte de namorar com ele, pois não conseguiria nenhum outro rapaz.

• Os controladores menosprezam e criticam os outros para parecerem superiores e no controle da situação. É muito fácil identificá-los, pois estão falando o tempo inteiro sobre quão burros e irritantes os outros são.

6- Desconfie de qualquer pessoa que parece incapaz de compreender ou aceitar a palavra “não”.

Controladora ou não, esta pessoa é um problema, mas juntando com as tendências de controle, você se verá perseguido. Essa pessoa tende a insistir até derrubar você e fazê-lo (a) desistir, mudar o seu firme “não” para um fraco “sim” e deixar você sentir culpa e vergonha. Lembre-se que é o seu direito tomar decisões, inclusive as que negam e recusam a fazer o que essa pessoa quer.

7- Considere o que acontece quando você quer ser você mesmo ou a fazer suas próprias coisas.

Você costuma alterar a sua própria personalidade, planos ou opiniões para satisfazer outra pessoa, mesmo que você seja geralmente uma pessoa forte? Se assim for, você pode estar lidando com uma pessoa controladora. Com relação a si mesmo, aqui estão algumas dicas fundamentais sobre a posição de ser controlado:

• Será que a pessoa ignora, subestima ou substitui sua própria experiência ou expressões de seus próprios sentimentos? Controladores tendem a tentar definir a sua realidade. Se você diz que está cansado e a pessoa diz que você não está, isso é um bom sinal de que ela é uma pessoa controladora.

• Você costuma encontrar-se numa situação de esperar mudar seus planos por essa pessoa? Vamos dizer que você tem o seu dia inteiro planejado, e então você recebe um telefonema de um amigo e diz a ele os seus planos. A pessoa diz que quer se juntar aos seus planos, com a ressalva de que o horário não funciona bem para ela, ou talvez que não é o lugar que ela quer ir. Quando você percebe, seus planos mudaram totalmente. Você acaba indo ver um filme que você nem queria, em um horário quem nem era o melhor para você.

8- Reveja como essa pessoa vê situações difíceis, tomadas de decisão mútuas ou questões de responsabilidade.

É nessas áreas que você pode realmente detectar a pessoa controladora em pleno funcionamento. Ao contrário de uma pessoa altamente opinativa (que pode ser uma chateação, mas não está tentando te controlar, apenas dá suas próprias opiniões em voz alta), uma pessoa controladora não tem a capacidade de tolerar ou aceitar as diferenças entre os dois.

Na verdade, uma pessoa controladora está sempre buscando maneiras de mudar alguma parte de seus traços fundamentais ou de personalidade, remodelando-os como parte de sua débil tentativa de controlar o mundo ao seu redor. Pode-se dizer que as relações não são democracias, nem são ditaduras.

É importante buscar um equilíbrio que deixe você confortável em qualquer relacionamento e a capacidade de comprometer, tolerar, ser flexível e de dar e receber de ambas as partes é essencial para relacionamentos saudáveis.

• A maioria das pessoas controladoras sempre joga no argumento as palavras: “você é o problema”, ou “você tem um problema.” Nada nunca é culpa delas.

• Pessoas controladoras muitas vezes têm dificuldade em lidar com problemas de forma objetiva e irão manipular a conversa para culpar os outros quando os seus próprios erros são apontados. Quando isso acontecer, acabe com a discussão, sem permitir que a pessoa controladora jogue com sucesso a sua culpa para você e/ou tire o seu crédito ou o de outros.

• Se você realmente ama essa pessoa, o “vínculo” entre você pode ser ainda mais difícil de ver e fugir, porque o seu amor continua tentando desculpar o comportamento dela.

• Pessoas controladoras costumam humilhar ou criticar os outros como um meio de parecerem superiores e no controle. Na verdade, uma pessoa controladora é fácil de detectar no monólogo constante sobre como podre, estúpido, mal, ridículo, irritante, etc., todo mundo é (presumivelmente eles nunca são nenhuma dessas coisas).

9- Olhe para o que acontece em torno de seus outros relacionamentos.

Quando a pessoa controladora está em torno de seus amigos e apoiadores, cuidado. A pessoa controladora, muitas vezes, tenta causar problemas entre você e seus amigos, espalhar boatos, tentar criar divisões (dividir e conquistar) e ainda vai contar mentiras (exageros para ser mais gentil) sobre você para eles ou sobre eles para você, para tentar quebrar seu apego a eles. O objetivo final é isolá-lo dos outros, para que ela possa tê-lo só para si, dentro da realidade que ela está tentando tecer para você. Fique alerta, qualquer tentativa de remover ou reduzir os seus amigos ou simpatizantes de sua vida é uma bandeira vermelha.

• Evite conversas sobre interações, interesses mútuos e amizades / relacionamentos onde você está na presença do controlador. Você sabe que isso vai tirá-lo do sério e se você precisar dar a impressão de que você é um eremita na presença dele, então é melhor fazer isso do que ter sua rede de suporte/amizade destruída por comentários sarcásticos e insensíveis.

10- Confira amizades dessa pessoa.

Controladores muitas vezes não têm amigos próximos, e raramente são amigos de outros que são mais atraentes, inteligentes ou queridos do que eles. Eles tendem a ter ciúmes de pessoas populares e bem sucedidas, e criticam aqueles que são muito queridos pelos outros. A falta de amigos pode ser um sinal adicional da incapacidade de tolerar os outros e da necessidade de controlar as relações com firmeza.

• Relacionamentos e amizades não são construídos sobre quem está no controle. Eles são interações mútuas baseadas em compartilhar, dar e receber, sempre buscando o equilíbrio.

11- Cuidado com o abuso do poder administrativo ou social, inclusive quando há direitos compartilhados.

As pessoas controladoras tendem a manter as conexões sociais e legais (tais como ameaças de litígio, divórcio, manipulação do casamento, contratos de arrendamento de colegas de quarto, planos de telefones celulares comuns, uso indevido de crédito compartilhado e contratos semelhantes) – especialmente se os direitos administrativos estão incluídos. Mesmo em redes sociais, pode-se bloquear e desbloquear uma pessoa, em vez de excluir a conexão, como mais uma tentativa de controlar um relacionamento difícil ou fracassado.

• Suspeite da generosidade excessiva de uma personalidade controladora como uma tentativa de impressionar você e controlá-lo. Ela parece dar-lhe um monte de coisas, de modo que você sempre sente que está se beneficiando de alguma forma, você acaba se sentindo como se devesse a ela alguma coisa, talvez até mesmo em longo prazo. A pessoa controladora, então, usa essa obrigação que você sente em relação a ela para controlá-lo.


LIBERTANDO-SE DE UMA PERSONALIDADE CONTROLADORA...

1- Aceite a verdadeira natureza desta pessoa. Confie nos seus sentimentos e tente ser honesto consigo mesmo. Se você perceber esses sintomas em outra pessoa e você estiver se sentindo apodrecido em torno dela, é hora de enfrentar, removê-la de sua vida ou lidar com ela de forma diferente. E ser gentil com você mesmo. Este não é o momento para repreender a si mesmo por ser estúpido o suficiente para se apaixonar por uma pessoa controladora, uma relação de domínio pode se aproximar de você de surpresa, envolta em um interesse inicial em você e em preocupação/cuidado aparente com você que acaba se transformando de um mar de rosas em um inferno uma vez que o controlador percebe que você já foi “pego”.

• Quanto mais forte você for, mais a pessoa controladora vai ter que se esforçar para te derrubar. É como uma viagem de ego para eles. Em outras palavras, este é um elogio indireto para você, que você é realmente uma pessoa forte e carinhosa (o) sendo um alvo de um indivíduo conivente que aspira ter suas características, mas não tem coragem.

• Não tenha medo de se aproximar dos outros, em quem você confia para suas necessidades emocionais. Isto irá permitir-lhe ganhar uma perspectiva mais saudável sobre a sua vida, bem como forçá-lo a procurar sua própria individualidade e independência longe desta pessoa. Não forneça uma explicação para essa pessoa sobre a sua necessidade de mudanças. Isso só irá atrair mais tentativas de controle, uma vez que a pessoa controladora vai saber o que você está fazendo e as manipulações dela irão prevalecer. Basta mudar.

2- Esteja preparado para estabelecer limites, para impor e defender suas opiniões com firmeza. Espere palavras como “faça isso”, “certamente, você tem que concordar com isso”, “se você for embora, então…”, “você precisa…”, etc. Quando você ouvir esses tipos de palavras, não ceda ou se renda.

• Não se surpreenda com reações à sua retirada da esfera de controle. Quando pessoas controladoras perdem o senso de controle, elas podem induzir psicologicamente problemas físicos, como dores de estômago, dor de cabeça, tristeza / lágrimas, desmaios ou urticária. Isto é simplesmente uma maneira de ganhar o controle da situação mais uma vez, segurando a atenção, simpatia e preocupação de outros. Leve-a ao médico se você estiver preocupado (é uma boa forma de deixar claras as tendências hipocondríacas dela), mas não caia nessa, nem continue nesse jogo.

• As pessoas controladoras são manipuladoras, independentemente dos motivos por trás da necessidade de controlar tudo. Elas não gostam quando os outros se impõem por motivos pessoais. Mantenha a calma durante os conflitos, mesmo que a pessoa se estresse e surte. Termine a conversa imediatamente caso ela fique violenta indo embora ou desligando o telefone.

3- Não ache que conseguirá consertar a pessoa.

Você sabe que ela tem problemas, mas é preciso saber também que é impossível ajudar uma pessoa a mudar se ela não quiser mudar. Explicar a situação apenas causará mais manipulações. Lembre-se de que o problema não é seu: controle seu próprio comportamento e seus problemas pessoais, mas não se engane achando que pode "mudar" a pessoa controladora.

4- Seja sincero e justo, mas guarde algumas coisas para você.

Os controladores costumam obrigá-lo a entregar informações pessoais “voluntariamente” para descobrir pontos fracos e traumas do passado. Após conseguir o que quer, a pessoa provavelmente usará as informações contra você; acredite, ela tem uma boa memória quando quer.

• Se acabou de conhecer a pessoa e ela já está tentando obter informações bastante pessoais, abra o olho!

5- Afaste-se.

Sempre que possível, evite as pessoas que pareçam tentar controlá-lo. Dependendo da relação que tem com ela, talvez não seja possível cortá-la completamente, como é o caso de familiares ou colegas de trabalho. Algumas táticas úteis:

• Seja breve e gentil sempre que interagir com ela.

• Tome cuidado para não confundir direitos e escolhas individuais, ou a alimentar as tendências da pessoa de assumir o controle. Ela quer direcionar suas decisões individuais — como escolhas educacionais e profissionais, por exemplo — negando sua individualidade. Inverta a situação agradecendo o comentário, mas reforçando que fará o que entende ser melhor para você. Siga em frente com sua vida como o planejado.

6- Aprenda a desapegar.

A compaixão é importante, mas é preciso desapegar das atitudes e dos problemas da pessoa. Eles não são seus problemas e não precisa carregar tal fardo. Cada um deve viver sua própria vida; não aceite o comportamento controlador só pela pessoa ter um passado sofrido, pois a situação apenas piorará. Desapegue para se importar com a pessoa sem envolver as suas emoções ou ficar preso nessa história.

Quando há um desapego compassivo, você se importa com a pessoa, mas reconhece que o comportamento dela é errado e não deve ser tolerado. Não apoie o comportamento ou deixe que ele/ela continue interferindo em sua vida. Caso alguém esteja controlando suas amizades, diga: "Gosto muito de você, mas não posso ser amigo de alguém que tenta impedir que eu faça mais amizades. Se conseguir se abrir comigo, podemos ser amigos (as). Se continuar assim acho que precisamos cortar relações".

Você não aprenderá da noite para o dia! Os fracassos o (a) ajudarão a aprender que quanto mais praticar o desapego, mais encontrará liberdade e permitirá que os outros também vivão as próprias vidas sem sua intervenção. Por mais que o desapego seja difícil, ele ainda é melhor do que ser o escravo emocional de outra pessoa por toda a vida, certo?


DICAS...

• É provável que uma pessoa controladora jogue jogos mentais, a fim de ocultar esta falha grave que ela tem. Seja extremamente cuidadoso com essas pessoas em todos os momentos.

• Nota especial: há uma grande diferença entre estar no controle de si mesmo e tentar controlar outras pessoas. Ter uma boa autoestima é uma coisa boa, controlar os outros não é.

• Se você é uma pessoa segura e forte, você pode ao longo do tempo começar a se sentir um pouco estranho sobre como você nunca pode ter razão sobre muita coisa quando está perto dessa pessoa, especialmente se é um tema que a pessoa se sente confiante de conhecer. Ouça a esses sentimentos, pois eles estão lá para orientá-lo. Se você não ouvi-los agora, em uma década ou outro momento você pode ser uma antiga sombra da pessoa que você deveria ser. Não deixe que isso aconteça com você.

• Siga seus instintos e sempre saiba quando é hora de ir embora.

• Se você estiver sendo isolada ou empurrada para passar o tempo apenas com a família e amigos do controlador, isso pode mostrar uma falta de respeito por seus sentimentos ou desejos.

• Se você é uma pessoa que gosta de controlar os outros, dê um passo para trás e dê uma longa olhada no estresse que você pode estar causando na outra pessoa enquanto você está estragando a sua própria saúde / felicidade mental.

• Dependência real atrai codependentes. Se você é deficiente ou tem problemas financeiros crônicos ou outros grandes problemas na vida que precisam de ajuda, você vai quase que inevitavelmente acabar dependendo de algumas pessoas controladoras por necessidades de sobrevivência. Dissociar-se deles, se eles estão no comando de seus benefícios ou de cuidados médicos, pode dar um monte de trabalho. Documente tudo e busque os mesmos serviços ou assistência de pessoas saudáveis. Pelo menos, em alguns lugares, um serviço como Serviço de Proteção a Adultos podem intervir quando os profissionais de serviço social, médicos e trabalhadores domésticos estão controlando e limitando sua vida além de lidar com seus verdadeiros problemas.

• Deficiências devem ser levadas em consideração. Algumas pessoas com deficiências podem sempre mudar seus planos ou não ser capazes de acompanhar as coisas que você quer fazer. Se eles disserem “não” a um monte de coisas e sugerirem outras coisas que você não pode desfrutar, olhe para as razões. Teste a amizade, trazendo à tona questões que são claramente suas próprias escolhas – de cabelo, roupas, opiniões que nada têm a ver com eles. Uma vez que muitas pessoas têm alergias químicas a diversos aromas e perfumes, se alguém lhe pede para não usar um determinado shampoo ou até mesmo não usar perfumes quando visitá-los, isso é uma questão de limite físico e não uma opinião sobre seu perfume, a menos que, em vez disso, a pessoa dite qual perfume você deve usar.

• Lembre-se que você não pode controlar outras pessoas, mas você pode controlar sua reação consciente a elas. Certifique-se de que você está lidando com as coisas de um jeito que acredita e não apenas respondendo a eles da mesma forma como eles respondem a você para tentar atingir eles ou colocá-los de volta no lugar. Isso não vai te levar a lugar nenhum.


AVISOS...

• Defina limites firmes sobre o que é e o que não é aceitável para você quando se trata de uma pessoa controladora. Elas vão empurrar esses limites para testá-lo. Fique firme e não desista.

• Pessoas controladoras muitas vezes fingem bondade para obter as coisas que elas querem. Nunca deixe um comportamento “bom” enganá-lo, simplesmente ignore e siga em frente.

• Se você está mudando seus interesses em detrimento dos de outra pessoa ou desistindo de antigos passatempos ou amigos, você provavelmente está em uma relação de domínio.

• Lembre-se: nós ensinamos as pessoas como elas devem nos tratar. Se você encontrar-se constantemente “cedendo” para a outra pessoa em coisas que são importantes para você, então você não está sendo você mesmo, mas está sendo controlado.

• Quanto mais tempo você permitir que outras pessoas controlem você, mais fraco pode tornar-se. Com o tempo, esse seu Eu enfraquecido pode tornar-se sua nova personalidade, e pode ser como um sonho se lembrar do seu antigo e forte Eu.

• Preste atenção nas pessoas que tentam jogar com seu lado emocional para ganhar a sua confiança no início da amizade. Coisas como dizer-lhe como a vida foi dura, porque sofreram bullying há seis anos, mas elas dizem que só podem confiar em você – ao tentar levá-lo a contar suas experiências ruins.

• Em seguida, após descobrirem como outras pessoas te machucaram ou te prejudicaram, elas vão trazer isso à tona constantemente dizendo coisas como: “Como você se sentiu quando você foi traído? Você não acha que você fez algo para merecer isso?” Elas vão parecer sinceras e carinhosas no início, mas depois vão usar essas informações para sutilmente insultá-lo até que você concorde com elas.

• Esta é uma espécie de jogo mental, influenciando você a pensar em si mesmo do jeito que elas querem. Muitas vezes você vai se sentir chateado, ou irritado e vazio depois de uma conversa, e então eles vão tentar convencê-lo (a) a fazer outras coisas que eles/elas sabem que você não gosta.

• Você pode dizer a diferença entre isso e um saudável compartilhamento de experiências/informações, porque depois de compartilhar experiências dolorosas mútuas, ambas as pessoas geralmente acabam se sentindo melhor e sentindo-se compreendidas. Quando não é assim, procure por jogos mentais da pessoa controladora.




_______________________________________
Tema baseado em texto da página Fãs da Psicanalise, link http://www.fasdapsicanalise.com.br/como-reconhecer-uma-pessoa-controladora/, acessado em 16/11/2016, às 12:35 hs.


avatar
Coordenação
Admin


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você pode responder aos tópicos neste fórum