12. ENTREVISTA

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

12. ENTREVISTA

Mensagem por Coordenação em Qui Out 06, 2016 7:39 pm

Por que somente agora resolveu assumir que conhece o Eneagrama?

CARLOS: É verdade, conheço o Eneagrama há 30 anos, desde o final dos idos de 1985. Mas, antes de vir a conhecer o Eneagrama, já tinha feito um longo percurso por vários grupos e escolas de ensinamentos esotéricos, ocultistas e espiritualistas. Na busca de mim mesmo, de algo mais, iniciada nos meus 14 anos de idade, vim a entrar em contato com os ensinamentos do Eneagrama através de um dos meus irmãos, ao qual, poucos anos antes, tinha apresentado os ensinamentos do caucasiano George I. Gurdjieff; aliás, foi Gurdjieff o introdutor original do Eneagrama no Ocidente.

Depois, este meu irmão, retribuindo o favor (rs), me apresentou o Eneagrama aplicado ao estudo da personalidade humana. Ele o conheceu através do Grupo Gurdjieff que eu tinha cocriado anos antes e, a esta altura, já tinha afastado do mesmo. Eu era um buscador insaciável. Sempre sentia faltar algo mais. Mas, o Eneagrama veio me apresentar um conhecimento inovador, mostrando a configuração dos caracteres (caráter) da personalidade humana e não somente isto, demonstrava na prática porque as pessoas e nós mesmos agimos assim ou assado e as razões de termos enormes dificuldades para mudar, de transformar nossos hábitos e características pessoais.

Meu irmão aprofundou seu conhecimento do Eneagrama através de um curso com o psiquiatra chileno Claudio Naranjo. E este último aprendeu o sistema com o boliviano Oscar Ichazo, o qual disse ter bebido nas mesmas fontes de Gurdjieff. Mas, todo este histórico estaremos apresentando detalhadamente nos estudos do Grupo.

Logo que conheci as ideias do sistema quis fazer o curso imediatamente, porém precisei aguardar o retorno do Dr. Claudio Naranjo ao Brasil nos anos seguintes, o que ocorreu em 1987. E, então, surgido à oportunidade, participei de outros cursos com Dr. Claudio. Após isto estudei uma vasta literatura sobre o tema, algumas boas, outras péssimas, e, principalmente, me apliquei, silenciosamente, ao exercício da observação de mim mesmo e das personalidades humanas à minha volta e/ou com as quais entrei em contato ao longo do tempo, e de personalidades famosas. A observação de outrem serve de base para o nosso crescimento pessoal, para aprendermos a aceitar os outros, as suas diferenças e, acima de tudo, aprendendo com eles que tanto nós quanto os outros temos pontos fortes e fracos e todos precisamos mudar e crescer.

Mas, o motivo essencial que me levou a evitar a falar do Eneagrama e apresentá-lo aos outros sem critérios maiores, deve-se ao fato dele se me apresentar como um conhecimento sagrado. E, por outro lado, pode ser muito perigoso em mãos inábeis ou ardilosas, acontecendo, em vez de ser uma ajuda, trazer sérios danos ulteriores. Portanto, esta foi a razão principal da minha recusa em permitir que as pessoas viessem a conhecer acerca da profundidade do meu conhecimento do tema; exceto, algumas pouquíssimas pessoas de minhas relações muito próximas ou que demonstrassem se interessar com mais intensidade pelo conhecimento de si mesmas. Não queria que o jogassem fora levianamente, ou não o valorizassem adequadamente, ou fizessem piadas, ou menosprezassem algo de profundo significado e importância, não só para mim mesmo, mas para todo aquele que queira realmente transformar sua vida, conhecendo a raiz de suas dificuldades mais íntimas.



A partir dos estudos e meditações, como tem sido a relação com as pessoas?

CARLOS: Conforme disse, estou sempre *tentando* aprender com as pessoas e as criaturas que a Vida tem apresentado nos meus caminhos. Assim, mesmo que seja uma criança, um adolescente, um adulto, um animal, formiga, pássaro, filme ou objetos e etc. sempre aprendo algo. E, realmente, quando nos dispomos e estamos abertos sempre aprendemos alguma coisa.

No percurso de minha vida já chorei muito, derramei suor e sangue por não conseguir estar consciente, isto é, estar presente neste instante que chamamos agora. Só eu mesmo sei o quanto sofri, quantas lágrimas derramei por não conseguir permanecer consciente de mim mesmo, por ser quem eu era ou apresentava ser. Já nem sei quantas vezes encontrei comigo mesmo deprimido, tentando permanecer consciente de mim mesmo o maior tempo possível e não conseguir. Desafio que só poderá ser compreendido pelos que já tentaram ou passaram por processos semelhantes.

*Ser consciente de si mesmo é uma construção*. A grande maioria de nós, para não dizer a totalidade, encontramo-nos em um estado consciencial de profundo sono. Passamos pela vida, adormecidos, mesmo estando de olhos abertos, trabalhando, casando, criando filhos e etc. E neste estado não vivemos de fato, ao menos, não desenvolvemos todo o nosso potencial. Apenas os que *tentam* acordar se dão conta desta realidade! Quanto aos outros, bem, para eles isto é uma bobagem ou, no mínimo, um renomado disparate.

Neste sentido, inicialmente os ensinamentos de Gurdjieff, depois o Eneagrama e, posteriormente, a Doutrina Espírita, ajudaram-me muito, trazendo orientações, conhecimentos e mostrando a direção. Aprendi a me perdoar, a me aceitar e, o mais importante, a fazer o que seja possível na minha atual condição. Alcancei uma paz íntima de bem estar. Nos momentos em que me descuido retorno novamente ao status no qual me encontrava anteriormente. No entanto, tenho recibo muito auxilio e ajuda, com a permissão de Jesus. Sou imensamente grato a todas as pessoas e, em particular, às que compartilharam este processo comigo ou próximo a mim.

Como disse, também tenho minhas dificuldades e traços a vencer, portanto não é de todo estranho alguns me acharem um chato de galochas. (rs) Por outro lado, como já disse inúmeras vezes, tudo na vida tem um preço e nós sempre acabamos pagando por ele, seja de um jeito ou outro. Entretanto, minha expectativa é que no futuro amanhã, além das fronteiras da carne, entendamos todos nós o porquê de muitas coisas. Mas, de qualquer modo, esforço-me no hoje para ter aprendido algo. Deste modo, nem tudo terá sido inútil, podem ter certeza: Guardarei alguma lição!



E por que resolveu fomentar um grupo de Estudo do Eneagrama?

CARLOS: Talvez por tudo que foi dito acima. Mas, o principal, observando tantos dramas humanos à minha volta e vendo que o conhecimento do Eneagrama poderiam ajudar muitíssimo estas pessoas, resolvi por compartilhar meus conhecimentos e a minha experiência. Assim, elas terão em mãos uma ferramenta muito poderosa na superação de seus dramas, de suas dificuldades íntimas, os problemas relacionais e, no final, elas mesmas, caso realmente queiram se conhecer e mudar de verdade.

*Não há como a pessoa ser a mesma após se conhecer, mesmo que seja um pouquinho.*

Como não poderia deixar de ser, *o desejo de se conhecer é de fundamental importância neste estudo*. Caso contrário, será apenas mais um acúmulo de informações intelectuais que poderá vir trazer mais complicações para si mesmas do que benefícios de longo prazo para suas almas.

Dentro das melhores expectativas, criamos este GRUPO FECHADO no Facebook onde iremos compartilhar informações, aprendizagens e experiências. Como os Cursos de Eneagramas não são nada barato para muitos brasileiros, haja vista que o primeiro módulo gira em torno de R$ 400,00, e, são no mínimo uns 5 módulos e cada um com o valor mais elevado que o anterior, resolvemos promover um estudo, onde partilharemos conhecimento e toda a metodologia de modo TOTALMENTE GRATUITO.



E por que no Facebook?

CARLOS:  Bom, a escolha do Facebook é temporária. Enquanto não descobrirmos uma plataforma melhor, temporariamente, ele se adéqua aos objetivos da proposta dos nossos estudos; onde todos poderão fazer postagem, subir fotos, vídeos, arquivos e etc. Obviamente, e nem precisaríamos dizer, tais ações deverão estar perfeitamente sintonizados com os objetivos do Grupo.

Além disto, os textos e outras postagens compartilhadas no Grupo serão acessíveis e vistos apenas e tão somente por seus integrantes. Entendo que alguns poderão estranhar o fato, devido à realidade de que o pessoal no Facebook busca apenas diversão, distração e outros elementos que não sejam sérios ou de uma utilidade mais duradoura para espíritos imortais que somos.

No entanto, acreditamos que nele também podemos encontrar aqueles que desejam e esperam algo mais na e da Vida. Entretanto mesmo que este não venha a ser o caso, se interessarão e encontrarão o Grupo apenas os que possuam o desejo e propostas diferenciadas da maioria. Além de tudo, o Grupo será algo a parte, mesmo se encontrando inserido no Facebook; estaremos apenas usando a plataforma fornecida pelo mesmo.

E como não encontramos nenhuma outra plataforma que propiciasse os recursos de que tínhamos necessidade, acabamos terminando por optar pela plataforma do Facebook mesmo. E outro ponto, MUITO IMPORTANTE, tal escolha permite que pessoas de diferentes partes do Brasil e, quiçá, do exterior que falem Português, possam participar dos estudos conosco, sem custos adicionais, exceto o de possuir ou ter acesso a um computador ou smartphone/celular, Internet e ser cadastrado no Facebook. Sendo que sobre a última condição, não sabemos informar se a plataforma do Facebook aceitaria a participação em um grupo inserido no mesmo, sem estar cadastrado nele.



E por que o inicio em 03/10/2016?

CARLOS: Bem, esta é uma previsão. Mas, a nossa expectativa e esperança é de podermos iniciar os estudos nesta data. Este é um prazo no qual aproveitaremos para fazer algumas apresentações do grupo, e, por outro lado, eu também poderei ter acertado algumas dificuldades pelas quais estou passando no momento. Então, deste modo, esperamos até a data já nos encontrarmos recuperados e prontos para a luta, se assim Nosso Pai e Jesus nos permitirem, então poderemos iniciar os estudos. Porém, pode ser que venhamos a prorrogar o prazo até 05/11/2016 para novas inscrições. Entretanto, após esta data será muito mais difícil à aceitação de novas inscrições pelas razões de que os participantes já terão dado uma boa adiantada nos estudos e exercícios. A dificuldade citada deve-se a necessidade de existir uma homogeneidade dos conhecimentos e nos estudos.



No inicio tinha estabelecido um número mínimo de participantes, por que mudou de ideia?

CARLOS:  Esta é uma boa pergunta. É verdade. No inicio, tínhamos estabelecido um número mínimo de 21 participantes. Mas, reavaliando melhor, consideramos ser injusto para com os que já se inscreveram cancelarmos os estudos. Se cancelássemos devido a quórum, estaríamos podando as possibilidades dos que demonstraram seu interesse e desejam aprender e crescer. Desta forma, vamos iniciar os estudos com o número de participantes inscritos à época.

Muito obrigado!
avatar
Coordenação
Admin


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum